Baleia Azul/"13 Reasons Why"

Nos últimos dias é crescente o número de notícias e informes relacionados ao jogo “Baleia Azul”. Esse jogo consiste em uma série de desafios que incluem tarefas de automutilação, ingestão de medicamentos, que podem chegar até ao suicídio. De forma concomitante ao “jogo”, também tem feito muito sucesso a série “13 Reasons Why”, que aborda o suicídio na adolescência.

O Colégio Luterano Concórdia, sabedor de suas responsabilidades como instituição de ensino, baseado em sua confessionalidade cristã, busca em todas as oportunidades, orientar, admoestar, acompanhar e não poupar esforços para que seus alunos e a Comunidade Concordiana possam estar informados a respeito de eventos desta natureza.

Acreditamos fielmente que esse tipo de comportamento só é combatido com acompanhamento constante, amparo, amor e principalmente a presença da família junto às crianças e adolescentes. Sendo assim, mediante a situação, cabe um alerta rigoroso e vigilante por parte da família e especial atenção para os possíveis sinais apresentados por jovens e adolescentes:

- Falas sobre morte e suicídio, mesmo que indiretamente, como “vontade de sumir”, “desaparecer”, “ir embora”.
- Isolamento (afastar-se da família, dos amigos).
- Perda do interesse em atividades que costumava fazer.
- Perda do interesse nas pessoas.
- Mudanças no hábito de sono (insônia ou aumento das horas dormindo).
- Mudanças dos hábitos alimentares (perda ou aumento de apetite).
- Irritabilidade, crise de raiva.
- Piora no desempenho escolar.
- Recusa a ir à escola.
- Comportamentos autodestrutivos (automutilação, uso de álcool e drogas, exposição a situações de risco).
- Ter tentativas de suicídio anteriores.
- Mudanças de comportamento em geral.
- Em pessoas que vem com quadro depressivo, melhora repentina (podem simular melhora para conseguir executar o ato suicida).
- História de suicídio ou tentativa de suicídio na família.
- Diagnóstico prévio de doença mental.
- Exposição a violência.
- Situações de bullying.
- Abuso sexual prévio ou recente.
- Postagens de baixa autoestima nas redes sociais.
- Interesse anormal por filmes de terror, passando horas assistindo.
- Preocupação repentina com morte e violência.

O Departamento Estadual da Criança e do Adolescente (DECA), ligado à Polícia Civil, e o Ministério Público foram acionados e possuem um serviço de auxílio e denúncia em casos dessa natureza. Segue abaixo os contatos:
DECA: 2131-5708 (horário comercial) / 0800-6426400 ou Whatsapp (51) 98418-7814.

Onde mais buscar ajuda?

Centro de Valorização da Vida
Oferece ajuda por telefone, chat, skype, e-mail e presencialmente
Telefones 141 (24 horas, para todo o país) e 188 (gratuito, apenas para o RS)
www.cvv.org.br
facebook.com/cvv141
— O Programa de Depressão na Infância e Adolescência do Hospital de Clínicas de Porto Alegre tem limitações de atendimento, mas é possível pedir encaminhamento para lá em qualquer posto de saúde pública

Pais: além de todos os dados já conhecidos sobre o uso seguro da internet, verifiquem as idades mínimas para estar com perfis em redes sociais.


A Direção